segunda-feira, 15 de outubro de 2012

"O mesmo olho pelo qual vemos Deus, é o mesmo pelo qual ele nos vê"

Não há nada mais divertido do que se desafiar e nada mais honroso e feliz que vencer. Travar uma batalha entre eu e eu, em busca de mim. É tão difícil desconstruir o orgulho...

Nadando entre milhões de novidades como a mudança de casa, a descoberta da Ayahuaska e o encontro de um bom humano para compartilhar coisas, coisinhas e grandes coisas. Sabe-se lá o motivo pelo qual a natureza desde sempre tem se empenhado tanto pra se expandir, mas é linda, é linda demais, e todo dia lembro de Cecilia Cabral, quando muito tocada pela beleza do mundo escreveu num poema uma frasezinha que muito me apaixona "um desembrulhar vitalício". Presente contido nas sementes, brotando belezas a enfeitar o mundo. É um mundo que me abraça o dia inteiro.


Humildade, gentileza, força, paciência, maturidade, empenho...palavras que ecoam na minha cabeça, produzindo uma névoa sobre meus olhos, o mundo não se desembrulha mais desapercebido por mim.


2 comentários:

  1. Belíssimo!! falei com Mel hj no skype, ela conheceu um grupo de ayahuaskeiros em Recife, tudo gente muito esclarecida e bacana. Lindo texto filha, como sempre.

    ResponderExcluir
  2. Atenção, cuidado com os catalisadores cerebrais, a alma do mundo também pode ser vista sem eles ;)

    ResponderExcluir