quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Contrários ou opostos?


Num diálogo entre revoltados, ou revolucionários tal como gostam de serem chamados, um anuncia alto sua tão convicta ideologia, que por curiosidade mudará após um ou dois semestres:

-         Sou anarquista! E revolucionaremos o mundo!

 E mais curioso ainda, e por uma certa perspectiva até cômico, um outro, também cheio de certeza, levanta a voz mais alto ainda para defender a sua tão amada esperança de mundo novo:

-         Muito pelo contrário, eu sou com muito orgulho um comunista! Anarquistas libertinos!

 Eu e os meus ainda teremos muito que ouvir gente falando de política, centenas de anos ainda ouviremos discursos bonitos de pessoas que não sabem ao certo pelo quê lutam. Dizem-se contrários um do outro e por isso discutem tanto. São sim contrários, mas não opostos. Discutem porque se imaginam lutando cada um por uma causa diferente. Isso porque nem sabem ao certo o que querem da vida, quanto mais pelo quê lutam, mas isso é outro assunto. A questão é que, no fundo, provavelmente não sabem, mas talvez queiram do mundo as mesmas coisas, mas caminham por estradas diferentes, distintas. Como vizinhos que resolvem ir à praia, ambos com o mesmo objetivo, escolhem caminhos diferentes, um vai pelas avenidas, o outro prefere os atalhos e estradinhas de terra. Cada um com suas razões a respeito do caminho escolhido.

 O oposto, que é uma coisa diretamente contrária à outra, muitas vezes é simplesmente confundida com a palavra “contrário”. O contrário de anarquista pode ser um monarquista, um comunista, ou até mesmo um islâmico (por que não dizer?), agora o oposto de um anarquista, é uma pessoa que pouco ou nada se importa com política. E seguindo essa linha, o oposto de quem não quer ir à praia...Talvez seja um chato! Por que convenhamos que quem não gosta nem um pouquinho de praia, não gosta de mar, de sol nem de terra! E fala sério, o mundo todo é proveniente dessas coisas, não podemos desgostá-las. Praia é um lugar revigorante. Mas enfim. Oposto é uma coisa, o contrário é outra. Como dizem por ai “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”.

 Sábios que são os ditados populares, aquele que diz que o “amor é o contrário do ódio”, é correto também. O oposto do amor, podemos dizer ser a Indiferença, e o ódio, sim é seu contrário.

 Quando eu amo alguém eu o quero o mais perto possível. Mas quando eu odeio alguém, eu não o desejo no ponto mais distante de mim no planeta Terra, desejo somente que não fique por perto. Ou seja, em qualquer outro lugar que não seja perto, existem mil possibilidades, quero somente que esteja distante. O contrário de abraçar pode ser estapear, chutar, etc. O contrário de agradar pode ser implicar como também por der ignorar, mentir, etc. Matematicamente falando, existem os positivos, os negativos, e o numero zero, todos os números com algum valor são contrários um do outro, somente o zero se opôs a tudo e resolver não ter valor algum, ser oposto.

 Então, para concluir, quem não pensa em política discute menos e é mais tranqüilo quem ama é mais feliz e quem vai à praia é mais saudável. E que contrário é uma coisa, o oposto é outra.

 

                                                                                                                        Selmy Menezes.

2 comentários:

  1. Seus textos são maravilhosos!! E não é porque não tem comentários que não são lidos. Tia Nana mesmo é uma que sempre lê, mas não sabe postar comentários, ela nem email tem, rsrs..tenho uma prima que tb lê. Voce um dia ainda vai ganhar uma grana escrevendo pra coluna de algum jornal.
    Bjos filhota!!

    ResponderExcluir
  2. Na verdade acho que não têm comentários por dois motivos, os burros não entendem, e os inteligentes pensam tanto, tanta coisa e por tanto tempo, que fica difícil escolher o que escrever, principalmente logo depois! Agente precisa de um tempo pra se divertir em digerir todo banquete

    ResponderExcluir