domingo, 20 de fevereiro de 2011

Finalmente.

Eu gostaria muito de colocar aqui a minha foto onde estou eu toda pintada devido ao trote da faculdade, escrito em verde na testa "BIXO" . Mas não estou com essa foto disponível no pc.

Gente, que felicidade, não tem nem como descrever a sensação de estar entre as pessoas que preencheram as 500 e poucas vagas da UNESP, eram 80 mil inscritos no vestibular...enfim, um sonho realizado.

O resultado sairia na quarta-feira, na terça feira eu percebi que tinha perdido meu RG e meu título de eleitor (documentos indispensáveis para realização da matrícula), então na quarta feira de manha, fui para Piedade para tirar uma segunda via dos devidos documentos, acabei gastando $ 50,00 para tal tarefa, foi horrível pois pensei que pagaria uns $10,00 no máximo. Às 2h da tarde, Valéria me manda uma mensagem no celular dizendo que tinha visto o resultado e meu nome estava lá! Eu fiz papel de doida no posto de gasolina em que estava na hora, sai gritando e pulando pra todo mundo ouvir que eu havia passado, que eu era universitária, que eu tinha conseguido!

A tarde foi feliz, almocei com o Augusto, demos risada, fizemos planos.

Às 6h da manha da quinta feira, eu e Valeria entramos no Onibus que nos levaria até Marília, a viagem dispunha de uma paisagem espetacular, plantações de pinheiros, de eucalipto e de café, nas primeiras 2h eu ainda estava feliz e só conseguia pensar em como seria quando chegasse em Marília, mas isso só aconteceu depois de 8h, isso mesmo, no total foram 8h de viagem!!

Ao chegarmos em Marília, pegamos um taxi até a faculdade, onde eu me matriculei, conheci umas 15 pessoas, entre eles meus veteranos, à noite dormi na casa de uma amiga que conheci pelo orkut a umas 2 semanas. Na sexta-feira, acordei determinada a procurar um lugar pra morar. Depois de muito conversar com as pessoas da faculdade procurando indicações, me disseram sobre uma velhinha que alugava edículas nos fundos da própria casa, ficava próximo à faculdade. Deixamos a mala na faculdade e fomos atrás da velhinha. A encontramos de joelhos no chão da calçada tirando os matinhos no pé do muro da casa, a abordei e perguntei sobre as edículas, ela disse que já estavam todas ocupadas mas que tinha uma casa para alugar, com dois quartos, quintal, ótimo preço. Fomos olhar a casa.Isso merece outro parágrafo.

Na rua sem saída, uma casa muito antiga esperava por nós 3. O muro de no máximo 1m de altura, um portãozinho fechado por um cordão. Na casa havia uma varanda pequena na entrada, as paredes descascadas, a torneira da cozinha gotejava assim como eu havia planejado hehehehe, o quintal estava sumindo em meio ao matagal, um pé de mamão nos fundos dava um ar de sítio ao local. Me imaginei morando lá, fazendo as reformas necessárias, as paredes num tom de creme, o tapete na sala, as flores no jardim em frente a casa. Me apaixonei.

Pegamos o onibus das 3h da tarde. No banco da frente, uma moça e seu bebê não me deixaram dormir durante um bom tempo, a criança chorava sem parar, nada a acalmava, até que depois de 1h ele finalmente dormiu embalado pela mãe (nunca entenderei o porque dos bebês se acalmarem quando são balançados por alguém, se alguem ficar me chacoalhando aí sim eh que não vou dormir nunca.) . Chegamos em Sorocaba 11h da noite, Jether foi nos buscar acompanhado de Milena e Regis.

Fui dormir as 3h da manha , empolgada, admirada com a vida, exausta, feliz...

Agora, estou fazendo uma vaquinha para fazer as devidas reformas, e pagar a viagem de ida pra lá.

Um beijo povo
Um monte de beijo xuxu.