segunda-feira, 25 de abril de 2011

Não me deixe...

Hoje, não tenho foto alguma.

Acordei cedo, umas 4h e meia da manha, fui pra varanda, um cheiro de cravo, fumaça de cravo, seja lá o que for. 1 ou 2 xicaras de café levemente adoçado, observei a movimentação do porteiro até 6 e meia da manhã. Tempo pra pensar, pensar na vida, na falta de vida...nas lembranças, no futuro.

Sara as vezes me visita, me conta alguns segredos, escuta outros, mas me deixa rápido, leva consigo a canela impregnada nos cabelos cacheados, leva minhas musicas, meus choros antigos...não se demora em meu sofá laranja.

Recentemente conheci Ella, me lembra muito Sara, tem olhos grandes e fundos, se encosta nas grades da varanda e fuma 1, 2...3 cigarros esperando a lua em seu ápice, Ella tem os cabelos longos, lisos, escuros, cheiram a fumaça a maior parte do tempo. Enfim, Ella é bonita, esperta, triste porém disfarça isso magnificamente bem.

......................................................................................................................................................................
Eu, vou mudar de assunto.
Hoje eu quero falar de mim, não da minha rotina pq ela pouco importa, mas das coisas que acontecem dentro de mim, das vontades que explodem, dos erros que latejam, das feridas abertas. das cicatrizes expostas, das risadas contidas, escondidas, liberadas, há...são tantas as risadas, eu adoraria fotografa-las.
Me sinto ligeiramente perdida, não sinto mais a "presença" de Deus nas árvores, sinto só a frescura das folhagens, a beleza da sombra, a vida que emanam. Eu queria sentir Deus, sentir que eu estava certa quando o sentia, pq ultimamente confesso que meu lado espiritual anda bagunçado, minha alma, seja lá o que isso for, não tem mais o coração batento no mesmo ritmo que o meu coração humano, o pedaço de carne que me mantem com pulso.
Minhas tristezas, essas me afundam, nem sei inumera-las, muito menos descreve-las, só as sinto, há...estão por toda parte, não é exatamente uma tristeza, é mais uma melancolia, um "acinzentamento" da vida hehehehe...se o portugues assim me permitir inventar essa palavra.
Minhas dúvidas, essas se amontoam, nos cantos dos quartos, na sala, na mesa da cozinha, em cada pagina de todos os meus livros...meus livros, coitados, as vezes algumas obras que tenho são mutiladas por alguns professores que tenho, dizem "isso não é literatura!!!"...eu os amo assim mesmo.

Meus erros, estes sim, são palpáveis, eles estão empregnados em mim, como fumaça que se aloja em cada mísero espaço, ai...estão pela minha casa, escorrem nas paredes, sujam meus quadros, estão por entre as minhas roupas. E pesam, essas desgraças, creio que já chegam à uns 3 ou 4 kg! pesam na alma, na consciencia, me martelam a cada instante me perguntando "como vive com isso? nos liberte, nos esqueça!!!"....se fosse fácil esquecer os erros, não teriam inventado a brilhante frase que serve somente pra conforto de nosso coração "o passado não existe".

Minhas alegrias, são muitas, não nego, meus risos se espalham pelas escadas do predio as vezes, os amigos sentam no chão da sala, tocamos violão, Chico Buarque se faz presente com suas musicas eternas, Ana carolina me visita às noites. A sacada dá pra uma arvore gostosa, fresca, que me alegra a vista, me socorre as afliçoes, as saudades.

 Em relação ao título, sim, é pra vc , mas não é um "não me deixe Jack!!"....é mais profundo, e merece uma continuação:
Eu, sou uma perdida, sem bússola que me guie por essas estradas tortuosas de novidades constantes, de pessoas alucinadas, pessoas que invadem minha vida como se esta fosse uma área pública! Há, as ruas, os postes, as árvores da avenida Tiradentes, o Bosque da cidade, as musicas que me chamam pelo nome, droga de nome que escuto a cada meia hora.
Não me deixe...te levar comigo, é um caminho perdido, constante escuro, e vc pensa "são tantos risos!", claro que são, sempre haverão risos, mas o riso de nada importa quando a alma chora, quando a rotina massacra, quando o passado bate à porta.

Não me deixe amor....te levar comigo.

"Não vou pedir a porta aberta,
é como olhar pra trás,
não vou mentir ,
nem tudo que eu disse eu sou capaz...
Não vou roubar seu tempo eu já roubei demais..."
Ana Carolina.



Uns Beijos grandes a todos, sinto saudades imensas.

2 comentários:

  1. A vida é um completo massacre quando percebemos sua falta de sacralidade;não deve se buscar sentido resposta ou oriente deve -se tomar a revolta como ato cósmico de indignação mesmo tendo consciência que o universo que é o que realmente existe é indiferente a sua existência, a sua revolta e a todos esses anseios que você descreve.O absurdo da existência ainda sim você pode criar um significado artificial e seguir a vida a já fizemos isso desde pequenos e as pessoas que fazem isso são realmente mais felizes,o importante talvez não esteja no buscar respostas de tentar sentir algo que não existe mais sim aceitar com simplicidade esse suspiro aflito de nossa existência e aceitar a ilusão.É mais fácil

    ResponderExcluir
  2. My, disse Jesus:
    "Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para vossas almas.Porque o Meu jugo é suave e o Meu fardo é leve."
    Meu beijo e minhas orações.

    ResponderExcluir