terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Futuro




É interessante observarmos o desenrolar da vida, parece tão normal, as crianças crescendo, as árvores tomando conta de tudo no jardim, os filhos indo embora. Mas o que me chama atenção é nebulosidade do futuro. Quando era pequena, com uns 10 anos, eu me imaginava com 18, mas não conseguia formar uma imagem, a minha futura situação financeira, física e espiritual eram coisas inimagináveis, incalculáveis, eu só esboçava minha vontade de futuro, queria ter um carro, queria ter um cabelo da minha irmã mais velha, queria deixar de querer brincar no quintal. E hoje, eu sou tão diferente daquilo que eu esperava.

 Indo por essa linha, eu tento calcular minha vida daqui à uns 20 anos...com 38 anos, beirando os 40, talvez eu tenha conquistado minha casa de taipa com as portas largar e as janelas baixinhas, talvez eu tenha o meu cachorro deitado em frente a lareira da sala, talvez eu faça a viagem dos meus sonhos, ir sozinha conhecer a Itália, aprender francês passando 5 ou 6 meses na França; talvez eu tenha o meu sítio e crie ovelhas, talvez eu tenha meu cavalo, talvez eu tenha uma quadra de tênis, um carro novo e um carro antigo, talvez eu saiba produzir incensos caseiros....talvez talvez talvez....
 E o estranho, é que pela incerteza do futuro, tudo isso exista somente na minha cabeça, e a verdade da vida seja outra, onde eu serei somente mais uma pessoa beirando os quarenta, afundada num casamento sem emoção, passando os anos a saindo de casa só pra trabalhar e visitar minha irmã e seus filhinhos, e talvez eu nem tenha um cachorro, talvez eu viva sozinha, rodeada de  gente, e sozinha.

 Mas eu sei porque não podemos ver o futuro, pelo menos eu sei o porque de EU não poder ver o futuro. Se eu visse, eu sentaria no meu quintal, e ficaria esperando ele acontecer.

 Eu queria ir embora.

2 comentários:

  1. Ainda bem que não possamos ver o futuro, Sel. Como você bem disse: "sentaria e esperaria acontecer". Trabalhemos, então, para um futuro lindo! O futuro depende do presente, né?

    Beijo, Flor! Gostei do texto.

    http://bernardoececilia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Creio que as pessoas nunca sabem ao certo o que vai ser a vida delas eu sou pouca coisa mais velho que você e já passei a pouco pelos mesmos sentimentos acho que o segredo é não perder o tesão na vida as vezes você perde mais tem de recuperar é assim sempre e não depende de idade,não da para criar muitos anseios tem de viver,as vezes se torna um tédio uma miséria a existência,com o tempo você aprende que é normal essa condição e que até isso tem seu aprendizado...Hoje costumo dizer que a humanidade seria sem viabilidade sem religião e drogas recreativas (ou um ou outro,ou mesmo os dois)de uma forma você e nós vamos viver entorpecidos e alienados de nossas verdadeiras condições crendo ou brisando(...)
    Beijo
    Sel

    ResponderExcluir