sábado, 16 de outubro de 2010

O murmurar das árvores.


Hoje assisti um filme muito interessante e até de certo ponto filosófico, o nome é "comer, rezar e amar" , uma moça que se sente sem vida após longos e cansados anos de casamento, se separa e resolve passar 1 ano viajando, vai primeiramente à Roma, faz amigos interessantes, engraçados e que comem muito, depois vai á a índia tentar se conectar à Deus juntamente com ínumeras pessoas altamente espiritualizadas, depois vai para Balí, onde finalmente encontra uma razão para viver, um equilibrio de vida, um amor, uma história...etc e tal. Fim

O filme é só uma história, mas o que me tocou mesmo, foi a essência da coisa. A idéia de quem escreveu, o sentimento do autor....o sentimento e sensação de mormaço.
A vida é repleta de momentos tediosos. A única frase que me vem à cabeça é: "é osso..." As vezes a vida se mostra muito chata, são os mesmos rostos, as mesmas frases, filmes, almoços, cultos...a emoção de primeiro encontro some ao longo dos dias, o anos passam e levam consigo os olhares insinuantes, os abraços cheios de saudade...enfim, as emoções...me lembro de Schopenhauer.

É engraçado concluir, que a vida é essa mesma. Sonhamos com um mundo interminável de descobertas e suas emoções, e por fim vemos que a beleza e felicidade da vida está mesmo na rotina, na chuva que cai sempre igual e molha sempre as mesmas folhas das mesmas árvores dos mesmos jardins, vemos que a beleza e emoção do amor está no sorriso sincero cheio de amizade, e nao no sorriso curioso cheio de malícia.

Só enchergamos a beleza da vida quando fechamos os olhos. Pois o abstrato abriga os sentimentos, as lembranças, os amores, os planos de Deus...


Osso....


bju povo
bju xuxu

comentem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário