sábado, 2 de outubro de 2010

Mil vezes perdão...

É interessante pensar no perdão, no perdão da pessoa que você ama, no perdão que a vida não deu, no perdão que o tempo nunca deu...
Eu não sei explicar o sentimento do perdoado, quem se arrependeu de verdade de algum erro na vida, sabe do que estou falando, é um sentimento muito doido, uma eterna divida, é como se nós mesmos nunca nos perdoássemos, o erro bate à porta todos os dias, falando "estou aqui, não importa o que aconteça, estou aqui"...Quando não estamos arrependidos, esquecemos nossos erros, deixamos que o passado os enterre, mas quando existe a culpa, ela renasce a cada hora, ela é a prova de que o passado existe. Certa vez eu ouvi dizer que quando lembramos de alguma coisa no passado, lembramos das sensações e sentimentos, mas não sentimos na pele, por exemplo: um machucado no joelho quando você tinha 10 anos, você lembra mas não sente a dor. Mas é engraçado, quando lembramos de algo que doeu na alma, na consciência, sentimos a dor, choramos, a alma lateja novamente, arde, arrepia, queima...

Enfim, que nobre é o ato de perdoar, eterna divida no coração do perdoado, tudo esquecido no coração de quem perdoa, vai entender...

Sei la...



Um beijo amor =)

2 comentários:

  1. Na hora em que a lembrança dói, lateja, queima é preciso lembrar que Jesus morreu na cruz pra perdoar nossos pecados; cada um deles. Assim podemos viver sem o peso amargo da culpa. Deus é bom e misericordioso. Por que nós não poderíamos nos perdoar a nós mesmos (e aos outros), se Ele, que é Justo, nos ama e já nos perdoou antes mesmo que cometêssemos o erro?
    Boa semana, Flor, na presença do Pai.
    Beijo.

    P.S. O que achou do meu e-mail-resposta?

    ResponderExcluir
  2. Selmy, passei por aqui.Gosto de te ler.
    Beijo

    ResponderExcluir