sábado, 30 de outubro de 2010

O poder da união.


No dia 28/10/10, os alunos da minha escola (Julio Prestes de Albuquerque- O Estadão), ficaram sabendo que o diretor Sr.Guaraci havia demitido a vice diretora Eliete. Os alunos em peso se revoltaram com a notícia, afinal, O diretor raramente aparece na escola, praticamente para dar avisos e novas regras, a pessoa que realmente cuida da escola, que dedicou anos de sua vida para o crescimento da mesma foi a Eliete, e faltando dois meses para sua aposentadoria, foi demitida.

A revolta assolou os estudantes, o sentimento e desejo de protesto foi geral, e em menos de 1h a escola estava repleta de folhas coladas nas paredes e até no teto com dizeres: "Volta Eliete" . No horário do intervalo entre as aulas, os alunos se agruparam no centro da escola e em coro gritavam um gingo "Não é mole não, sem a Eliete não tem aula no Estadão". Fomos ouvidos e as coordenadoras na escola foram tentar nos acalmar, não houve resultado, sentamos no chão como indica a foto. Por fim os portões da escola foram abertos, e fomos andando e gritando "volta Eliete" até a secretaria da educação no centro da cidade. No outro dia o Protesto foi anunciado pelo Jornal Cruzeiro do Sul.

Tudo isso nos faz pensar no poder que nos é dado quando nos unimos em uma só voz. Quando nos sentamos no chão querendo mostrar "não mudaremos de opinião". Vimos que não há diretor ou policiais que anulem a força de 700 pessoas gritando num só sentimento.

Isso nos ensinou que temos poder suficiente para mudar tudo o que achamos que está errado, basta nos unirmos e nos organizarmos. Podemos mudar a escola, o governo, a sociedade inteira, podemos acabar com o preconceito, com a pobreza, com o analfabetismo, com a injustiça. Nos unir com verdade e vontade, humildade e sentimento.

um bj povo.
um bj xuxu =)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

E Deus disse: Sinta!!


hehhee...talvez essa seja um dos meus escritos mais hereges, mas...eu não posso negar ou esconder algo que nos ultimos dias me inspira, me preenche, me revigora...
Deus...de cada um, pra cada um!
Nos últimos dias eu venho pensando muito sobre os nossos tão enraizados e amados costumes, sabe...ir pra igreja no domingo de manhã, fechar os olhos na hora da oração,se vestir melhor pro domingo de noite, acordar e ir estudar, trabalhar na segunda de manhã, esperar ancioso o final de semana. E por cima de tudo isso, algo nos faz acreditar que Deus consente com todo esse sistema, acreditamos que interpretamos a bíblia da forma mais exata e não existe nada mais sensato do que nossas conclusões.
Eu sentei na grama do jardim esses dias, e o vento bateu de leve no meu rosto, e junto com ele um cheiro de eucalipto que me lavou a alma, os pesos, as angustias...foi como se minha cabeça tivesse sido formatada naquele instante, e eu finalmente ví e entendi que alí estava Deus, estava no vento que passou por mim, estava na grama que eu me sentara com tanto conforto, no sol que aquecia e alaranjava a copa das árvores de eucalipto lá do fim da rua....Deus está na vida, na vida que corre atravéz das leis da física, da quimica, da filosofia...
Eu pela primeira vez, senti que tudo que eu vi até hoje talvez não seja a exata vontade de Deus, e creio eu que esta seja bem conhecida e resumida "amar a Deus, amar ao próximo" ....e tudo o que vem depois disso...é só um grande sistema, cheio de interpretações humanas, de interesses, enfim...
Deus está vivo dentro de voce e realmente te salva, quando você ama...ama de verdade, e ama a vida sem querer algo em troca, quando vc entende que todas as pessoas são importantes, são interessantes, são belas e foram feitas pelo próprio Deus...Todo o resto...é resto.
Deus quer que vivamos, que amemos...que amemos com verdade, que saibamos com convicção que Deus nos ama, que precisamos dele, e que devemos voltar à ele....Esqueçamos o machismo e o feminismo, o errado e o certo, o bonito e o feio, porque tudo isso foi criação de nós mesmos, voltemos ao início, ao ponto de partida da criação, ao sopro de Deus...
Um beijo povo
Um monte de bejooo xuxu..
comentem...

sábado, 16 de outubro de 2010

O murmurar das árvores.


Hoje assisti um filme muito interessante e até de certo ponto filosófico, o nome é "comer, rezar e amar" , uma moça que se sente sem vida após longos e cansados anos de casamento, se separa e resolve passar 1 ano viajando, vai primeiramente à Roma, faz amigos interessantes, engraçados e que comem muito, depois vai á a índia tentar se conectar à Deus juntamente com ínumeras pessoas altamente espiritualizadas, depois vai para Balí, onde finalmente encontra uma razão para viver, um equilibrio de vida, um amor, uma história...etc e tal. Fim

O filme é só uma história, mas o que me tocou mesmo, foi a essência da coisa. A idéia de quem escreveu, o sentimento do autor....o sentimento e sensação de mormaço.
A vida é repleta de momentos tediosos. A única frase que me vem à cabeça é: "é osso..." As vezes a vida se mostra muito chata, são os mesmos rostos, as mesmas frases, filmes, almoços, cultos...a emoção de primeiro encontro some ao longo dos dias, o anos passam e levam consigo os olhares insinuantes, os abraços cheios de saudade...enfim, as emoções...me lembro de Schopenhauer.

É engraçado concluir, que a vida é essa mesma. Sonhamos com um mundo interminável de descobertas e suas emoções, e por fim vemos que a beleza e felicidade da vida está mesmo na rotina, na chuva que cai sempre igual e molha sempre as mesmas folhas das mesmas árvores dos mesmos jardins, vemos que a beleza e emoção do amor está no sorriso sincero cheio de amizade, e nao no sorriso curioso cheio de malícia.

Só enchergamos a beleza da vida quando fechamos os olhos. Pois o abstrato abriga os sentimentos, as lembranças, os amores, os planos de Deus...


Osso....


bju povo
bju xuxu

comentem...

sábado, 2 de outubro de 2010

Mil vezes perdão...

É interessante pensar no perdão, no perdão da pessoa que você ama, no perdão que a vida não deu, no perdão que o tempo nunca deu...
Eu não sei explicar o sentimento do perdoado, quem se arrependeu de verdade de algum erro na vida, sabe do que estou falando, é um sentimento muito doido, uma eterna divida, é como se nós mesmos nunca nos perdoássemos, o erro bate à porta todos os dias, falando "estou aqui, não importa o que aconteça, estou aqui"...Quando não estamos arrependidos, esquecemos nossos erros, deixamos que o passado os enterre, mas quando existe a culpa, ela renasce a cada hora, ela é a prova de que o passado existe. Certa vez eu ouvi dizer que quando lembramos de alguma coisa no passado, lembramos das sensações e sentimentos, mas não sentimos na pele, por exemplo: um machucado no joelho quando você tinha 10 anos, você lembra mas não sente a dor. Mas é engraçado, quando lembramos de algo que doeu na alma, na consciência, sentimos a dor, choramos, a alma lateja novamente, arde, arrepia, queima...

Enfim, que nobre é o ato de perdoar, eterna divida no coração do perdoado, tudo esquecido no coração de quem perdoa, vai entender...

Sei la...



Um beijo amor =)