quarta-feira, 28 de julho de 2010

Só o presente existe.

Eu acabei de apagar um texto enorme sobre o passado, ainda vou deixar o título pra que meu texto não suma por completo. Eu escrevi sobre "não devemos pensar muito no passado pois ele não existe de fato"...Mas eu pensei melhor, são só algumas lembranças que queremos apagar, não todas.

Lembro que eu era criança e pulava nas poças d'água quando chovia, eu subia numa jabuticabeira carregada de fruta pra comer da mais alta, eu ria até cair pra trás com meus amigos da escola, eu jogava giz nos alunos coitados (...), eu comia pão caseiro e adivinhava quais eram os ingredientes dos sucos que Valeria fazia. Eu lembro também de passados mais recentes onde eu conheci o Augusto, cansada depois da escola, sentada numa cadeira de canto no escritório de Milena, entra ele na sala todo arrumadinho cheio de gel no cabelo, de correntinha no pescoço, boné, olha pra mim animado, me dá um oi sem muita emoção, pega uns papéis e vai embora pro escritório de seu pai. Eu juro que nunca pensei que 1 ano e quase 10 meses depois eu estaria nesse nível de relação com aquele carinha, meu eterno amigo e namorado.
Eu lembro também da emoção que senti quando dirigi pela primeira vez, um gol branco, correndo pelas estradinhas desertas da represa da Light.

Enfim, são tantas as coisas boas de lembrar, mas as coisas ruins, é inútil lembrar, afinal elas não existem se eu não quiser...

Um beijo povo, hoje foi confuso meu texto, eu sei....mas a foto é boa =)

Dois bejos xuxu =)

2 comentários:

  1. nossas lembranças juntas não quero esquecer.

    ResponderExcluir
  2. Para o Berkeley nem o presente existe de ``fato´´ objetivo são apenas idéias enfim Selmy imediatismo pós-moderno e rejeição do passado como fonte de experiência de função social são marcas de nossa sociedade.Será que você não é a cara da nossa sociedade ou melhor da fração de classe e religião de nossos tempos, eis que abolir o passado é a destruição de toda a temporalidade inclusive do presente e as lembranças que tens do seu primeiro encontro com seu xuxu que pertencem a construção de um passado em sua mente e que não podem ser objeto de repetição,enfim não destrua a temporalidade por imediatismo, é legal mesmo assim não nos preocupamos demasiadamente com as coisas e paramos de pensar em algo inútil que nos distância da religião e da sociedade superestruturada e passamos a pensar mais em reprodução nem que seja somente no ato.
    cuidado!!!!
    abraços!!!!!!

    ResponderExcluir