terça-feira, 20 de julho de 2010

Cenas pequenas, momentos incríveis

Crianças são felizes? Por que??

Todo mundo gosta de dizer que todas as crianças são felizes, mas, eu fiquei pensando, crianças não podem sair de casa sozinhas, não conseguem tomar banho direito, não podem comer o que querem, têm que dormir cedo, enfim, confinadas na própria idade.
Porém, comecei a pensar na minha própria infância, e lembrei porque eu era feliz.
De manhã, Valeria vinha me acordar dizendo "acorda Maria bonita, acorda pra fazer café, o dia já vem raiando e a polícia já está de pé" hehehehehhe, que comédia. Eu levantava e já estava tudo pronto na mesa, um prato de papa, suco, bolo, pão caseiro, e eu comia tudo enquanto ela lavava os pratos, cantava músicas do cantor cristão, aquela Mãe com M maiúsculo.
Eu brincava na terra com as panelas de Valeria, fazia bolinhos de barro, e ainda dava pedaços pra ela achando mesmo que ela guardaria pra depois comer. Eu tinha uma bicicleta cinza, descia a ladeira a mil por hora passando por cima das pedras, desviando dos buracos, acenava para os bois como se eles realmente me entendessem.
Jether chegava no fim de semana, chegava com uma mochila nas costas, com um cheiro de café, de viagem, de cansado, mas passava por cima de tudo e me abraçava como se eu fosse a criança mais amada do mundo, ouvia minhas histórias bobas como "há, eu brinquei com o cachorro, corri no pasto, brinquei na lama, comi flor, tomei banho de mangueira", me ouvia enquanto tomava café. Na segunda feira, ia-se embora de novo, levando a mochila, levando minhas histórias, meus desenhos, minha saudade.

Esses dias, andando de carro por uma rua qualquer, eu vi uma cena, que me fez lembrar a emoção de ser criança. Uma menina magrelinha corria pela calçada como quem queria alcançar a velocidade da luz, abria a palma da mão, com os dedos juntos para dar aerodinâmica, o cabelo liso esvoaçava no vento, ela pulava as irregularidades do chão, com um sorriso imenso nos lábios, eu pensava "pra onde ela vai?", acompanhei a menina com os olhos para ver onde ia, e vi que na esquina um homem esperava por ela, muito alto e gordo, provavelmente seu parente. Ela pulou no seu colo, entrelaçando as pernas na cintura enorme do homem, agarrada em seu pescoço com os olhos fechados de tanto riso. Enfim o meu carro foi pra outra rua, a menina feliz com o homem gordo sumiram e vivem hoje somente em minha memória.

Crianças são felizes sim, porque correm sem medo de cair, comem sem medo de dor de barriga, riem sem medo de alguém brigar, dormem sem medo de acordar.

Mas os anos passam, e a infância fica num passado longínquo, guardada num lugar especial de nossas lembranças, passamos a brincar menos, a rir menos, a dormir menos, mas há felicidades, sempre há felicidades.
Hoje eu não quero mais um bolo de terra, mas quero um diploma merecido, um amor pra vida toda...vida toda, isso significa "pra sempre", então, o "vida toda" ja começou a muito tempo, meu amor pra vida toda já está comigo vivendo cada dia pra alcançar a vida inteira. Eu quero uma casa de campo, um violão, um cachorro no tapete da sala, uma lareira que aqueça nossas conversas e nossos risos.

A vida é cheia de felicidade, todas as fases, todas as horas. Pessoas que fazem felicidade, que nos dão felicidade.

Um beijo pessoas
Xuxu...obrigada, eu amoo tu

Comentem....

5 comentários:

  1. oiii xuxuu adoreiii esse textoo
    realmente eh isso msm crianças nehh
    as vezes da saudadeee apesar de sermos presos
    bjooo meu amorrr
    eu amoo vc

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma visão niilista da infância e me preocupo com o tamanho da população do planeta,enfim não sou otimista como você Selmy.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto, Selmy! Belas imagens com frases construídas como uma moldura que encadra e embeleza o quadro. Eu diria que você está "adestrando" sua escrita. Keep walking... ;) Acompanho seu progresso com um sorriso entrelinhas.

    Beijo direto da Suíça =*

    ResponderExcluir
  4. Tão lindo...me emocionei.....

    Beijos direto de Jurupará,rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. cada fase que temos, é uma infância divertida, uma lembrança dolorida..
    beijos flor.

    ResponderExcluir