quinta-feira, 1 de abril de 2010

Somos os outros...
























Na foto: eu e augusto na Mc'donald , tia nana ainda estava aqui... =)

Quero escrever hoje, sobre...a indiferença, o anonimato, nós e os outros. Não vou escrever muito, o tema não permiti muitas linhas.

Você provavelmente andando na rua já comentou com alguém "olha aquela pessoa ali, ela blá blá blá...". Notem essa expressão "àquela pessoa", dá a entender que você não a conhece, não sabe o nome, a idade, os interesses, o signo, absolutamente nada, ela é uma "outra pessoa". Porém, nunca paramos pra pensar, que para as pessoas que passam na rua nós somos os outros, você é "aquela pessoa" do comentário de alguém que na rua repara em você.

No centro da cidade, são centenas e centenas de pessoas que passam, concentradas em suas próprias vidas, em seus afazeres...e nós somos só mais uma delas, a andar pelo centro, pagando contas, comprando coisas...

Se colocássemos uma cadeira no centro da praça central da cidade, sentássemos lá, e passássemos o dia a observar os que passam, teríamos histórias infinitas para contar mais tarde:são tantas as crianças que andam puxando a roupa da mãe pedindo coisas, os velhos que cospem no chão, os bêbados que gritam para os carros, as prostitutas que acenam para os que passam, os tímidos que andam encarando o chão, os narcisistas que caminham com uma expressão de "sou muito bonito, olhem aqui"....as crianças que andam derrubando sorvete....enfim, pessoas vivendo.

Seria tão interessante possuir a onipresença de Deus só por uns segundos, e poder ter conhecimento dos por menores das vidas de todos, saber as dores, as preocupações, as alegrias, as preocupações, ou até mesmo somente o nome dos que passam na rua...

Seria tão...tão interessante.

um beijo povo- comentem!
dois beijos xuxu -amo tu S2

Um comentário:

  1. Comento. Eu costumava pensar a mesma coisa. Tentava imaginar as histórias que se cruzavam e realmente seria ... interessante conhecê-la. Continue escrevendo... Eu vejo tanto do que eu pensava e não escrevi. Agora estou velha. O que sobrou foi o hábito de observar os carrinhos de compras das pessoas no supermercado e imaginar o contexto :D Por sinal, tenho que sair pra trabalhar em cinco minutos. Vou lá fazer minhas pizzas.
    Beijo, flor.

    ResponderExcluir