terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Futuro




É interessante observarmos o desenrolar da vida, parece tão normal, as crianças crescendo, as árvores tomando conta de tudo no jardim, os filhos indo embora. Mas o que me chama atenção é nebulosidade do futuro. Quando era pequena, com uns 10 anos, eu me imaginava com 18, mas não conseguia formar uma imagem, a minha futura situação financeira, física e espiritual eram coisas inimagináveis, incalculáveis, eu só esboçava minha vontade de futuro, queria ter um carro, queria ter um cabelo da minha irmã mais velha, queria deixar de querer brincar no quintal. E hoje, eu sou tão diferente daquilo que eu esperava.

 Indo por essa linha, eu tento calcular minha vida daqui à uns 20 anos...com 38 anos, beirando os 40, talvez eu tenha conquistado minha casa de taipa com as portas largar e as janelas baixinhas, talvez eu tenha o meu cachorro deitado em frente a lareira da sala, talvez eu faça a viagem dos meus sonhos, ir sozinha conhecer a Itália, aprender francês passando 5 ou 6 meses na França; talvez eu tenha o meu sítio e crie ovelhas, talvez eu tenha meu cavalo, talvez eu tenha uma quadra de tênis, um carro novo e um carro antigo, talvez eu saiba produzir incensos caseiros....talvez talvez talvez....
 E o estranho, é que pela incerteza do futuro, tudo isso exista somente na minha cabeça, e a verdade da vida seja outra, onde eu serei somente mais uma pessoa beirando os quarenta, afundada num casamento sem emoção, passando os anos a saindo de casa só pra trabalhar e visitar minha irmã e seus filhinhos, e talvez eu nem tenha um cachorro, talvez eu viva sozinha, rodeada de  gente, e sozinha.

 Mas eu sei porque não podemos ver o futuro, pelo menos eu sei o porque de EU não poder ver o futuro. Se eu visse, eu sentaria no meu quintal, e ficaria esperando ele acontecer.

 Eu queria ir embora.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Mulheres árvores.

Rubem Alves costuma plantar uma árvore cada vez que alguém importante para ele morre, essa árvore plantada deve se parecer com quem morreu, lembrar sua personalidade. Alves plantou uma camélia quando sua mãe faleceu.

Camélias são as flores que mais me chamam atenção, nunca soube porquê. Porém, nos ultimos tempos, tenho lido tanto a respeito das mulheres, do feminismo, do cristianismo, etc e tal, que eu entendi porque meu coração se comove quando vejo uma camélia.

Camélias são árvores que imitam pessoas. Não todas as pessoas, somente as que são tristes, as que são presas, representam as pessoas que são enraizadas num sistema triste, pessoas que queriam voar e não podem. Assim como os pensamentos mais belos que essas pessoas presas têm, as camélias dão flores que contradizem seus galhos e folhas grosseiras, são flores que representam a liberdade que suas raizem impedem de abraçar, flores que representam a beleza que existe no pensamento.

Algum dia, todas as flores vão voar, não somente as minhas, mas as de toda humanidade, e nos tornaremos livres dos trilhos, das regras, ras raizes.

Eu queria ser um pássaro, e não uma árvore, mas a terra ainda cobre meus pés, enterra minhas ásas, prende minhas flores.

Páginas